sexta-feira, 26 de maio de 2017

You grow up

flowers

Daí você se joga na cama, da um suspiro alto e encara o teto, e então começa a se perguntar o motivo de sua existência, é aquele momento sabe? Em que você começa a duvidar do motivo de você existir, de continuar ali.
Então você se lembra que não sai de casa a mais de três meses, olha para os lados e vê que está sozinha, que não tem mais amigos, simplesmente por não ter mais tempo, e então você se pergunta: Quando foi que sua vida ficou tão corrida? Quando foi que você cresceu? Quando foi que tudo mudou?
E então sua mente volta no tempo, tentando se recordar do exato momento em que tudo isso aconteceu, mas você não consegue voltar tanto, simplesmente por ter uma mente fraca, que não consegue se lembrar nem do que comeu no café da manhã.
Mas então, de repente vem uma lembrança, daí você começa a se lembrar aos poucos, se lembra daquele relacionamento que deu errado, que causou uma grande ferida, agora já cicatrizada, você nem se lembrava mais, mas então se lembrou, de que tudo mudou quando passou a procurar ocupações para manter a mente ocupada e não se lembrar do que se passava no coração, arrumou um emprego, decidiu se dedicar mais aos estudos, tudo isso em busca de manter a mente ocupada, para assim se esquecer do caos que estava ai dentro.
Mas ai agora, deitada nessa cama, questionando o motivo de sua existência, você percebe que, mal tem tempo para ir ao banheiro direito, que as pessoas se afastaram, até mesmo aquela amiga que você chamava de irmã, a quanto tempo você não a vê?
Você quer, mas não pode... E por que não pode?
Não tem mais tempo para os amigos?
Não, não é bem assim não é mesmo? Acontece que o seu medo de se machucar novamente fez você afastar a todos, amigos, familiares, fez você se isolar.
Agora você tem um emprego, tem obrigações e responsabilidades, você amadureceu, mas você ainda é uma adolescente, mas se esqueceu disso, pois não age mais como tal, tem vida de adulto, e você percebeu que é mais complicado do que esperava.
Daí bate uma puta de uma saudade, bate uma vontade de jogar tudo para o alto e marcar de sair com a galera no fim de semana, vontade de largar tudo e voltar a ser como antes, fazer altas maratonas de séries, passar horas lendo livro, ai cai a ficha, você não tem tempo nem para ler uma frase sequer, e da aquela vontade de desistir de tudo, voltar para as saideiras, se sente presa, a quanto tempo você não sente o gosto do ar livre? A quanto tempo você não anda apé pela rua? A quanto tempo não dorme direito? Você nem conhece mais a palavra dormir, já nem sabe mais o seu significado. A vontade de desistir de tudo é grande, mas você sabe que não pode, que infelizmente as coisas não são assim.
As pessoas começaram a cobrar mais de você, e você tenta ao máximo se dedicar a todos, mas você mal mal tem tempo para você mesma, e percebe que seu esforço não é bem visto. E você se coloca no lugar delas, você ficaria chateada se fosse elas, você tenta e tenta explicar, mas sabe que ninguém é capaz de entender.
Você se afastou por medo de se machucar, mesmo que se afastar de tais pessoas não estavam no plano, aconteceu...
E você tenta voltar atrás, mas não consegue. Tenta mudar as coisas, mas também não consegue. Tenta arrumar mais tempo, mas de novo não consegue.
Você se lembra? Se lembra de como era ter tempo livre? Algo que você já nem sabe mais o que é. Poder acordar tarde? Você se lembra de como era sair com aquela sua amiga louca e pagar altos micos? Se lembra de maratonar séries? De ver filmes? De ler livros? De sair para restaurantes com a família? De sair para dar uns "perdidos" por ai?
É, a resposta é sim, não é? Você se lembra, e sente uma falta danada, e sabe que daria qualquer coisa para ter um pouco mais de tempo livre. Uma hora, ou até mesmo alguns minutos a mais do que você tem, talvez esse tempo seria o suficiente para estabelecer um equilíbrio, talvez fosse o suficiente para fazer certas pessoas se reaproximarem, talvez fosse o tempo que você precisa para ter um descanso, tanto para o corpo, quanto para a mente e o coração, talvez fosse tempo suficiente para arrumar a sua vida...
Mas infelizmente, nem sempre as coisas acontecem como queremos, e nem sempre podemos fazer o que temos vontade, pelo simples fato de o tempo ter passado e você ter crescido...


2 comentários:

  1. Esse texto meio que me definiu em algumas partes, mas em outras é totalmente ao contrário. Você diz que não tem tempo pra nada, e eu aqui com total tempo do mundo. Mas, sabe? ás vezes queria ter essa vida meio corrida, pois a minha vida é tão parada entendiante, que acho que seria legal eu ter um emprego, e me desligar um pouco do meu mundinho fechado. Senti essa pressão, esse cansaço, essa falta de tempo quando fiz um curso de apenas 2 semanas. Mas, sabe? ás vezes não vejo a hora de arrumar logo um emprego, e poder fazer algo realmente de útil e que vá me trazer alguns benefícios, mas imagino como deve ser cansativo. Tirando essa parte,eu me identifiquei tanto com o texto. Que ás vezes me pergunto, quando essas coisas ruins irão acabar.
    http://noitecer.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pensava assim antes de começar a trabalhar também. Pensa em uma pessoa atoa, que ficava o tia todo sem fazer absolutamente nada, era eu...
      Era chato, e claro, precisamos de ocupações, mas para minha idade, o bom, e o ideal seria um emprego de no minimo 4 horas, como minha irmã tem, ela trabalha das 8:00 as 12:00
      Eu por outro lado...
      Claro gosto do meu emprego, mas eu queria ter mais tempo para dedicar a mim mesma.
      Espero que tudo melhore para você.
      Beijos!

      Excluir